Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sempre dê preferência a sites com Certificados de Segurança.

O CERT.BR informou a corrência de 39.419 tentativas de fraudes o ano de 2019, representando 87% das notificações referentes a esta categoria.Sempre dê preferência a sites que apresentem Certificados de Segurança válidos e expedidos por unidades certificadoras.Na barra de navegação, os sites deste tipo iniciam os endereços por “https://”, aparecendo no lado esquerdo a imagem de um cadeado. Ao clicar no cadeado é possível visualizar os dados da unidade certificadora que garante a autenticidade do site visitado. Cuidado com os certificados “auto assinados”, pois não existe uma unidade certificadora por trás. Portanto, nenhum órgão garante sua confiabilidade.Também é possível um site iniciar por “https://”, pertencendo legitimamente a algum órgão ou instituição com o certificado expirado. Neste caso, procure se informar da legitimidade do serviço que você deseja.Tanto os “auto assinados” quanto os expirados são exibidos na respectiva barra de navegação com uma informação de advertência. I…

Notícia:Plugin da Microsoft para Firefox deixa navegador aberto para ataques!

Notícia veiculada em 16-10-2009 pelo Tecnoblog.

Mais uma sobre a "guerra" dos navegadores de internet. Esta matéria demonstra bem toda a disputa envolvida na busca do mercado:
Em fevereiro deste ano, a Microsoft liberou o service pack 1 para o .NET Framework 3.5 através do Windows Update. A atualização instala em computadores que tiverem o navegador Firefox um plugin chamado "Windows Presentation Foundation". De acordo com engenheiros da própria Microsoft, o plugin faz com que tanto o navegador da Mozilla quanto o Internet Explorer fiquem vulneráveis a ataques.

Esse plugin explora uma falha na tecnologia chamada ClickOnce, que faz com que aplicativos .NET sejam baixados e executados dentro dos navegadores. Hackers e crackers podem, então, usar essa vulnerabilidade para direcionar o usuário para uma página com código malicioso, infectando o computador.

O conselho do grupo de engenheiros é o mesmo para ambos os navegadores: desative o plugin. No IE7, basta ir às preferências de segurança e desativar aplicações XAML. No Firefox, basta ir ao menu Ferramentas, escolher a opção complementos, ir à aba plugins e desativar o plugin Windows Presentation Foundation.

Para desinstalá-lo por completo, é necessário fazer certas modificações no registro do Windows. A Microsoft disponibilizou o procedimento neste link.

Para acessar a notícia diretamente da fonte, clique aqui.

Bem, até a próxima e não deixem de comentar!

Comentários

Postagens mais visitadas