Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sempre dê preferência a sites com Certificados de Segurança.

O CERT.BR informou a corrência de 39.419 tentativas de fraudes o ano de 2019, representando 87% das notificações referentes a esta categoria.Sempre dê preferência a sites que apresentem Certificados de Segurança válidos e expedidos por unidades certificadoras.Na barra de navegação, os sites deste tipo iniciam os endereços por “https://”, aparecendo no lado esquerdo a imagem de um cadeado. Ao clicar no cadeado é possível visualizar os dados da unidade certificadora que garante a autenticidade do site visitado. Cuidado com os certificados “auto assinados”, pois não existe uma unidade certificadora por trás. Portanto, nenhum órgão garante sua confiabilidade.Também é possível um site iniciar por “https://”, pertencendo legitimamente a algum órgão ou instituição com o certificado expirado. Neste caso, procure se informar da legitimidade do serviço que você deseja.Tanto os “auto assinados” quanto os expirados são exibidos na respectiva barra de navegação com uma informação de advertência. I…

Congresso:rede do Senado tem servidor interno de “pirataria”

Matéria publicada no site: BR-Linux.org
Você já viu uma organização, privada ou pública, que tem em sua rede um servidor de arquivos exposto a todos os usuários, contendo cópias de filmes, músicas, jogos e outros arquivos cujos disponibilizadores e usuários não receberam autorização dos autores e distribuidores, na prática usualmente chamada de “pirataria”?

Eu já vi várias, e tomei atitudes a respeito quando me competia, mas o Congresso em Foco viu algo que eu ainda não havia visto: um servidor deste tipo instalado na casa legislativa por onde tramitam as normas que buscam restringir e limitar cada vez mais este tipo de atividade. Segundo a matéria, “Parlamentares e funcionários têm acesso a centenas de pastas com filmes, músicas e jogos. Obras incluem Ensaio sobre a cegueira e discos do Pink Floyd”. Talvez haja uma boa explicação, mas o gestor responsável pela área de TI, quando consultado, informou que uma série de reuniões impossibilitava que ele fosse entrevistado sobre o assunto.

Segundo a matéria, e que mostra títulos como “Rede de Mentiras” e “Pagando bem, que mal tem?”, separei um trecho da matéria “Senado dribla direito autoral via internet“:

"(…) Os passos para se chegar ao espaço de entretenimento virtual estão escondidos no ícone “Meus locais de rede”. Um clique em “Outros locais”, seguido de outro em “Toda a rede” e mais um em “Rede Microsoft Windows” levam ao endereço de 13 servidores. Um deles, sob a denominação “Senado”, guarda centenas de pastas com diversos arquivos onde estão gravadas obras audiovisuais.

Músicas, filmes e jogos de computador ficam guardados em pelo menos duas pastas, “Md0066” e “Md0067”. Na primeira, o usuário tem acesso livre a 6,4 gigabytes (gb) de música, dispostos em 51 pastas secundárias com discos de artistas variados – da cantora pop Nelly Furtado à banda de heavy-metal Megadeth, passando pelo rock do Pink Floyd e cantores como Rogério Skylab e Beto Barbosa. Além disso, a Md0066 ainda oferece uma versão do internacionalmente celebrado jogo eletrônico Warcraft, e mais 32,5gb de filmes da pasta KRATZL.

A pasta Md0067 tem 45,8gb em material gravado, e registra nas pastas secundárias dezenas de arquivos de filmes, dos clássicos aos atuais, em 30,6 gb, mais 22 outros filmes em 15,2gb arquivos livres. As produções registradas nas pastas vão do clássico infantil A menina e o porquinho ao cult Ensaio sobre a cegueira, além de hollywoodianos como Homem de ferro, Gran Torino e Carga explosiva e a produção brasileira Meu nome não é Johnny.

O Congresso em Foco tentou ouvir explicações da Secretaria Especial de Informática do Senado Federal (Prodasen) sobre os arquivos, mas o diretor-adjunto do órgão, Deomar Rosado, disse que reuniões consecutivas o impediriam de reservar tempo para a entrevista. Durante toda a tarde dessa segunda-feira (1º), o site voltou a procurar a secretaria, mas não obteve retorno. Também foi enviado e-mail, mas não houve resposta até o fechamento desta reportagem. (viadeolhonacapital.com.br)".

Para acessar a matéria na íntegra, clique aqui.

Até a próxima e não deixem de comentar.

Comentários

Postagens mais visitadas