Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sempre dê preferência a sites com Certificados de Segurança.

O CERT.BR informou a corrência de 39.419 tentativas de fraudes o ano de 2019, representando 87% das notificações referentes a esta categoria.Sempre dê preferência a sites que apresentem Certificados de Segurança válidos e expedidos por unidades certificadoras.Na barra de navegação, os sites deste tipo iniciam os endereços por “https://”, aparecendo no lado esquerdo a imagem de um cadeado. Ao clicar no cadeado é possível visualizar os dados da unidade certificadora que garante a autenticidade do site visitado. Cuidado com os certificados “auto assinados”, pois não existe uma unidade certificadora por trás. Portanto, nenhum órgão garante sua confiabilidade.Também é possível um site iniciar por “https://”, pertencendo legitimamente a algum órgão ou instituição com o certificado expirado. Neste caso, procure se informar da legitimidade do serviço que você deseja.Tanto os “auto assinados” quanto os expirados são exibidos na respectiva barra de navegação com uma informação de advertência. I…

Bancos investem R$ 1,5 bilhão em segurança!



Bancos investem R$ 1,5 bilhão em segurança. mas usuários devem fazer sua parte.
Notícia vinculada no Portal Fator Brasil em 05/12/2008.

Os bancos brasileiros investem anualmente cerca de R$ 1,5 bilhão em sistemas de segurança eletrônica – como, por exemplo, desenvolvimento e distribuição de mecanismos geradores de senhas instantâneas (tokens), de cartões de senhas e em equipamentos identificadores a partir de biometria. Mas é preciso que os usuários façam sua parte, adotando medidas de segurança. O aviso é de Guilhermino Domiciano, integrante da comissão de Fraudes Eletrônicas da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Domiciano e o coordenador da comissão, César Faustino apresentaram a manhã técnica 'Natal Eletrônico Seguro', dia 3 de dezembro, na sede da Febraban.
Segundo Domiciano, a chamada 'engenharia social' é a tática mais utilizada para obter dados dos usuários e, a partir deles, praticar golpes cibernéticos. O termo, embora tenha sido adotado recentemente pelos especialistas em Tecnologia da Informação (TI), remete a técnicas bastante simples de cometer os crimes, como, por exemplo, enviar um e-mail a milhares de usuários com mensagens do tipo "Você está sendo traído", "Seu nome está na lista do Serasa" ou "Saudades de quem te ama", que remetem a itens (anexos, por exemplo) que, se clicados acionam mecanismos capazes de espionar a máquina dos usuários. "Por isso, é preciso ficar atento", afirma Domiciano.
Até a próxima!

Comentários

Postagens mais visitadas